Antes que eu me esqueça de setembro e outubro

>Geisse O Mario Geisse ficou emocionado por ter sido eleito o Homem do Vinho por seus colegas brasileiros de profissão, reunidos na ABE, por ocasião da Avaliação anual que fazem em Bento Gonçalves, com a presença de uns 1000 degustadores. Imagine só, um sujeito consagrado no Chile de onde vem, no Brasil pelo que fez pela Chandon ainda nas décadas de 70 e 80; pela consultas que deu como aquela para a Aurora, quando da confecção do Millesime 2004; pelos espumantes que vem realizando em sua casa, a Cave Geisse, cujo prêmio maior acabou de receber ao conseguir 96 pontos em 100 do Steve Spurer, publicado na revista Decanter inglesa; ele mesmo que toca um projeto como o Soños, que faz com que ele produza vinho Carmenere em sua terra, champagne em Champagne e nebbiolo no Piemonte.
Ficou emocionado, eu também fiquei.
> IsabelO New Zeland Isabel Pinot Noir, plantado a partir de galhos roubados – há 40 anos atrás – em La Tashe de Romanée Conti. Um vinho que envelhece bem como um Pinot Noir de estirpe deve fazer. A representante da família que nos apresentou os vinhos da casa disse que eles têm degustado vinhos de mais de 20 anos, e estes só mostram evolução, evolução.
>Hermitages Magnífica aula de Rhone Norte, ilustrado com os vinhos Delas, sinônimo do emaranhado político/financeiro das vinícolas francesas, visto que pertence ao grupo Deus, que por sua vez foi comprado pela Roeder. Sinônimo ainda porque produz seus vinhos em Hermitage, mas compra compra em Cornás, em Tavel, em Vacqueiras, em Cote Rotie, em Condrieu, em Saint-Joseph… Faz dois rótulos por região, ambos AOC, sendo que os de fundo amarelo apenas quando há concentração suficiente. O Cornas é ótimo, o Crozes Hermitage, igualmente puro Syrah é uma aula de vinificação…Fiquei morrendo de vontade de passar uns dias na adega!
SolarAtividade impressionante no Rio de Janeiro, criada e promovida pela revista Baco e seu grupo, envolvendo degustações em blitz por todo Rio, da Lagoa ao Cadeg, da Urca à Dias Ferreira, culminando com um ótimo leilão promovido em parceria com o grupo Fasano, tendo o resultado sido integralmente doado para a fundação Solar de Meninos de Luz, uma instituição que desde 1991 promove educação formal e complementar em regime integral, cultura e esportes para os filhos das comunidades do Pavão e Cantagalo. Esta instituição vem fornecendo mão de obra qualificada, poliglota e profissionalmente habilitada para servir em hoteis e no restaurantes do maior prestígio possível – o próprio Fasano, entre eles.
adriano ramos pintoOs vinhos? Entre outros, um Adriano Ramos Pinto 1880, cujo lance inicial foi de R$11mil! Outro exemplo? Um Pesus a R$1000,00. Isso em meio a Don Melchor, Pio Cesare, Chateau Lynch Bages 1975, Domaine de Chevalier 1982, Pichon Lalande 1988, Mouton Rotschild 1974 e assim foi… Uma beleza de leilão!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s